terça-feira, 15 de novembro de 2011

"Todos devem jogar!!!!

"Todos devem jogar!!!!

Todas as federações nacionais e mundiais, deveriam seguir o que diz este artigo escrito por este homem apaixonado pelo futsal do Rio de Janeiro. Trabalhei por muitos anos num projeto chamado CEEDUC aqui em Cabo Frio , muitos jogadores do nosso futsal tiveram passagem por este projeto que acabou. Lá aprendi a jogar com esse regulamento de colocar todos pra jogar e até hoje como treinador do sub 20 do Cabo Frio tenho "dificuldade" em deixar um atleta sem jogar...

Orlando_Barros

"Um apelo à sensibilidade só tem resultado efetivo quando encontra reflexão em pessoas realmente sensíveis e com poder de decisão para levar avante as mudanças necessárias.

Tomo, por vontade própria e assumo o risco de promover uma legião de opiniões adversas e até de represálias, a decisão de implorar, em nome das crianças que não têm o direito de se manifestar, pelo direito de que “Todos devem jogar”.
Apelo aos dirigentes dos órgãos que promovem o futsal que tomem para si a dor imposta a uma criança praticante do futsal que fica no banco e não entre para jogar, que seja registrado nos Regulamentos Gerais que “Todos devem jogar”.


Antes de considerar que, se a obrigação for para todos, os treinadores ficarão confortáveis às cobranças dos dirigentes quanto a não ter alcançado a vitória porque colocou um ou outro jogador que estava no banco e não deveria ter entrado em detrimento de um ou outro com mais habilidade.
Devemos considerar que o mais importante na formação de uma criança atleta, é dar a certeza de que indo pro banco, ele vai jogar. Não vai passar a vergonha pública de ter sido escalado, ter posto o uniforme, ter feito aquecimento, e no final, diante de toda a sua família, ser considerado um mero coadjuvante, tão fraco, que nem sequer entrou.
Os treinadores são cobrados somente pelas vitórias. Mas tendo a obrigatoriedade de colocar todos os atletas, eles têm que cumprir o que manda o Regulamento, e certamente aceitarão com tranqüilidade que “Todos devem jogar”.
Não culpo os treinadores, não culpo os supervisores, não culpo os dirigentes, mas responsabilizo todos aqueles homens e profissionais, não importando se são dirigentes ou não, que se omitem virando às costas para os sentimentos das crianças.
Eu não tenho o poder de mudar as regras, mas como homem e pai, tenho o dever de romper o silencio e apelar pelas crianças que, se reclamarem serão penalizadas, de implorar pela sensibilidade daqueles que podem fazer as mudanças necessárias dando um novo sentido de respeito a elas."
Orlando Barros, 15 de novembro de 2011.
Dia da Proclamação da República” e o meu “Dia Da Proclamação Pelos Direitos das Crianças”.
ARTIGO DO ORLANDO BARROS
O Blog Futsal Pernambucano adota esta campanha!!
Forte Abraço!!!!

24 comentários:

Anônimo disse...

Parabéns pela iniciativa, vamos lutar pelos direitos das crianças... Por um único motivos são apenas crianças e não jogadores completos.

Paulo Campos disse...

Concordo plenamente com o Orlando Barros. A frustração de uma criança que é escalada para um jogo na esperança de entrar em quadra e ajudar sua equipe e não tem nem a chance de entrar no jogo é muito grande. Perdemos grande atletas por conta disto, crianças já nem se animam mais quando tem jogo do seu time pois sabem que não vão ter oportunidade de jogar. Precisamos mudar isto. Treinadores e dirigentes tem que ter a consciência de que estão lidando com crianças e não com suas vaidades. Todos devem jogar sim. Porquê não? Me convençam do contrario!!

Anônimo disse...

Concordo que a regra deve existir, embora não podemos esquecer que os treinadores também erram quando convocam um número exagerado de atletas por jogo. Sabemos que isso acontece com frequência e que quanto maior o número de atletas, menor se torna o valor da taxa de arbitragem para cada pai. Será que é justo convocar um atleta que se sabe que não vai entrar em quadra só para diminuir o custo para àqueles pais que terão a alegria de ver seus filhos jogarem, enquanto outros pagam par ver a decepção nos olhos dos seus? Fica a reflexão para os treinadores.

Anônimo disse...

Importantissímo o debate, e deve ser levado para a Federação PE, para que as pessoas responsáveis possam alterar o regulamento e colocar como obrigatóriedade a entrada de todos as crianças que forem para quadra, pois é muito decepcionante para a criança a mesma não entrar em quadra e frustante para os pais que muitas vezes não podem ir ver os filhos e quando podem ir os seus filhos não entram. Os treinadores que muitas vezes deixam as crianças o tempo todo no banco de reservas e não tem a coragem e nem o sentimento de colocar as crianças para jogarem, porque estão fixados apenas no título, no resultado, e esquecem das crianças. QUE ESSE ASSUNTO VA PARAR NA FEDERAÇÃO URGENTE PARA QUE SEJA IMPLANTADA DE IMEDIATO EM SUAS COMPETIÇÕES, SE POSSÍVEL JÁ PARA A COPA VERÃO DESTE ANO, ONDE OSTREINADORES MUITAS VEZES SÓ UTILIZA-SE DO SEU TIME TITULAR. E NÃO EXISTE COMPLICAÇÃO PARA ISSO, É SIMPLES, BASTA UM PARÁGRAFO INCLUINDO A OBRIGATORIEDADE E PONTO. PEDIMOS A VOCÊ MARCOS QUE POSSUI UMA FERRAMENTA POTENTE EM SUAS MÃOS QUE CONTINUE COM ESSA BANDEIRA LEVANTADA EM PROL DE TODAS AS CRIANÇAS E SEUS SENTIMENTOS, PORQUE ELAS MERECEM RESPEITO, CARINHO E ATENÇÃO.

Anônimo disse...

E a frustação é maior ainda quando sabemos que nossos filhos são escalados só pra completar a taxa de arbitragem. Estou nessa também, que todos devem jogar.

Vera Nunes disse...

"E a frustação é maior ainda quando sabemos que nossos filhos são escalados só pra completar a taxa de arbitragem..."

Esta frase realmente fez com que eu olhasse por outros ângulos, e agora com certeza, TODOS DEVEM JOGAR, quantas vezes passei por isto e quantas ainda vou passar...
Vera, mãe de Nunes sub 11 Náutico.

Anônimo disse...

As vezes as crianças tem potencial mas outros sao queridinhos de treinadores

Anônimo disse...

Boa tarde!! concordo plenamente com este artigo,acho que deveria ser totalmente reformulado essas regras de futsal.No voleibol é assim e todos jogam e olha o sucesso do nosso vôlei nacional.Ontem presenciei um fato que me doeu muito, levei meu filho de seis anos a uma partida DE FUTSAL, após pegar dois ônibus e passar quase uma hora em um engarrafamento, meu menino (LOUCO POR FUTEBOL, SÓ FALTA DORMIR COM A BOLA)OLHOU OS OUTROS JOGAREM, TODOS DO SEU GRUPO ENTRARÁ NA PARTIDA( QUE ALIÁS PERDERAM)E MESMO ASSIM APENAS ELE NÃO ENTROU.AO FINAL,JÁ FORA DO GINÁSIO ELE ME SOLTOU AS LÁGRIMAS ME PERGUNTANDO PORQUE ELE NÃO JOGOU, ME PERGUNTANDO SE ELE ERA TÃO RUIM QUE O "TIO" NÃO O COLOCARA PRA JOGAR,LÓGICO QUE EU O AFAGUEI E PROCUREI ACALENTÁ-LO E FAZÊ-LO DESISTIR DA IDÉIA DE NÃO QUERER MAIS JOGAR, E TIRANDO AGORA O LADO DE PAI,E COMO OBSERVADOR QUE SOU,TIRANDO UM OU DOIS JOGADORES QUE FAZEM PARTE DESTE GRUPO, NÃO VEJO O PORQUE ELE NÃO JOGA, POIS ELE TREINA TAMBÉM NO COLÉGIO E LÁ ELE JOGA EM UMA CATEGORIA ACIMA DA DELE E É BASTANTE RESPEITADO,, NÃO ESTOU AQUI QUERENDO TIRAR O DIREITO DO TREINADOR DE DISPOR DE SUAS PEÇAS E ESCALAR O QUE ELE QUISER,ENTENDO SEU LADO POIS EM CLUBES AS VEZES A VITÓRIA É MAIS IMPORTANTE QUE FORMAR ATLETAS, MAS VENDO O LADO PEDAGÓGICO E PRINCIPALMENTE O FUTURO DO FUTSAL,GOSTARIA QUE REPENSASSEM E TREINADORES E DIRIGENTES OLHASSEM COM CARINHO POIS SÃO CRIANÇAS E ELAS ESTÃO SENDO FORMADAS E POSSUEM SONHOS E ESTES NÃO PODEM SER DESTRUÍDOS POR UMA REGRA OU VONTADES DE UNS POUCOS , A VITÓRIA É IMPORTANTE CLARO, MAS ACIMA DISTO VEM A CONSTRUÇÃO DE CARÁTER,RESPEITO,UNIÃO E A FORMAÇÃO DE CIDADÃO QUE UM DIA ESTAS CRIANÇAS SERÃO, MEU FILHO ONTEM DERRAMOU LÁGRIMAS POR QUERER ENTENDER O PORQUE NÃO JOGA COMO TANTAS OUTRAS JÁ DERRAMARAM E NÃO JOGAM MAIS POR TEREM DESTRUÍDOS OS SONHOS( MUITOS PODEM LER E COMENTAR : A RESPOSTA É QUE ELE PODE NÃO TER QUALIDADE, O QUE NÃO É O CASO DELE, PORÉM MESMO QUE UMA CRIANÇA NÃO POSSUA TANTA QUALIDADE ASSIM PELO MENOS ELA TEM O DIREITO DE SER FELIZ E AO MENOS REALIZAR SEU SONHO DE SER POR UM MINUTO SEQUER SER UM "NEYMAR, MESSI" PARA SEUS PAIS E COLEGAS.

Fernando Pestana.

Anônimo disse...

Verdadeiramente este é um debate polêmico, tendo em vista que há vários interesses: Do clube, dos treinadores,e dos pais. Regulamentar a obrigatoriedade de todos jogarem, me faz repensar que também quando garotos já fazemos a exclusão espontaneamete, quando o dono da bola chega cedo e fica esperando os outros jogarem e diz: S e não jogar, levo a bola. Em todas as profissões encontraremos profissionais top e outros medianos ,outros mais inteligentes, mais espertos, mais criativos. Não concordo que todos devam jogar e não vejo demérito de um garoto ficar no banco para um jogador melhor do que ele. Não podemos tirar a competitividade. Imagine o resrva do Neymar. Do Messi.Os garotos entendem que fazer parte de um grupo vencedor é importtante para ele.Imagine os amigos dele, que talvez nunca terão a chance de fazer parte de um grupo vencedor como ele fez, mesmo como coadjuvante. Temos vários casos que jogadores que na pelada de rua eram barrados, depois se tornaram jogadores profissionais. É relativo. Nos pais, não podemos colocar a nossa emoção e protecionismo diante de um assunto tão polêmico como o futebol. Ficar na reserva não é nada confortavel. Convocar a família para ver seu filho jogar e ele ficar no banco não é facil. Mas pense: Será que você não exagerou para os seus familaiares que seu filho era um craque!!!!.

Marcos Aurélio disse...

Prezado Fernando!

Em tempos de Bullying na escola, me pergunto se estas situações não representam uma situação de bullying???

Forte abraço!

Anônimo disse...

Se a regra for colocada em prática, os treinadores serão obrigados a convocar só aqueles que têm condições de entrar no jogo, e não uma quantidade enorme de meninos só para contribuir com a taxa de arbitragem.

Anônimo disse...

Creio que o meu comentário não foi entendido por alguns leitores, o fato de existir as categorias de base tanto em clube como em escolas...é para levar a uma iniciação pedagógica,mostrar as crianças os vários tipos de esportes existentes, principalmente nas idades entre 5 e 12 anos, onde tanto a formação corpórea e a maturidade intelectual ainda não estão totalmente formadas, o que eu quis expor é o fato que numa idade tão tenra as crianças sejam expostas a fatos que elas ainda não estão preparadas para entender, mostro que não vir aqui fazer polemica nem tão pouco criticar trabalho de treinador algum,e muito menos achar que isto é vital para vida de meu filho ou de qualquer outro, e se leram bem minhas palavras coloquei de lado meu ato de pai e fui em prol de algo maior, a de mostrar que as vezes podemos perder alguns valores devido a algumas regras e normas colocadas em tempos errados, não sou dono de verdade nenhuma e muito menos quero ser, até porque tenho outro filho mais velho e tempos antes ele mesmo pediu para conhecer outro esporte e no mesmo instante o deixei escolher, acho que o comentário do escritor anônimo que imagina que eu falo(Mas pense: Será que você não exagerou para os seus familaiares que seu filho era um craque!!!!.)palavras dele, CHEGA A SER ATÉ RIDÍCULO, POIS QUAL É O MENINO QUE JOGANDO EM QUALQUER LUGAR SEUS TIOS , PRIMOS E AVÓS NÃO IRAM, PERDOU O RELATO DE MEU COLEGA MAS SE TORNOU INOPORTUNO...APENAS RESPONDI UMA PERGUNTA DO BLOG SOBRE UMA OPINIÃO DE REGRAS OU NÃO...E EXPUS UM FATO VERÍDICO QUE ME OCORREU...PRA VC TER UMA IDEIA MEU MENINO ESTÁ DOIDO PRA QUE HAJA OUTRO JOGO E ESTÁ NESTE MOMENTO BATENDO UMA BOLINHA... SENHORES E SENHORAS NÃO LEVEMOS ESTA DISCUSSÃO PARA O LADO DE IRRITAÇÕES OU DE RAIVA E LEVEMOS PARA O LADO ONDE TODOS POSSAM DE ALGUMA MANEIRA CRESCER CADA QUAL COM SEU FILHO E TERMOS UMA VIDA SAUDÁVEL QUE É ISTO QUE O ESPORTE PROPORCIONA, ATÉ PORQUE COLOCO O ESPORTE PARA MEUS FILHOS COMO UMA BRINCADEIRA E DIVERSÃO E NÃO UMA FORMA DE OBRIGAÇÃO QUE ELES TEM QUE SER OS MELHORES, SE ELES QUEREM TREINAR ELES VÃO SE NÃO EU NÃO OS LEVO, EM TUDO NA VIDA DELES EXPONHO OS PROS E CONTRAS E O DESEJO DELES VEM EM PRIMEIRO LUGAR, SE ELES ESTÃO ALEGRES FICO FELIZ, NÃO OBRIGO E MUITO MENOS EXIJO ALGO O QUE ELES NÃO O QUEREM SÓ PORQUE SERIA MINHA VONTADE COMO MUITOS PAIS O FAZEM E ACABAM DESTRUINDO UMA INFÂNCIA E MUITAS VEZES ATÉ UMA VIDA POR COMPLETO.

CARO AMIGO MARCOS AURÉLIO,EM QUAL SITUAÇÃO VOÇE EXPÔS A PERGUNTA? ELA TEM UMA VIA DE MÃO DUPLA COMO ELA FOI EXPOSTA POR TI, COMO ELA FOI ESCRITA, A RESPOSTA PODE SER LEVADA DE DUAS FORMAS, QUAL VOÇE QUER MINHA RESPOSTA, NO MAIS AGRADEÇO A OPORTUNIDADE DE RELATAR NOVAMENTE, UMA BOA NOITE A TODOS E QUE DEUS OS ABENÇOE.

FERNANDO PESTANA.

Marcos Aurélio disse...

Fernando concordo com tudo que vc expôs!

A minha pergunta é se tal situação nós poderíamos enquadrá-las como Bullying? Pois todo mundo é contra, então porque permitir que este regulamento, seja danoso a formação emocional dos próprios atletas que eles pretendem formar?

Sou a favor sim da mudança no regulamento!

Inclusive hoje tive o prazer de conversar com o Professor Barão que me passou a informação que sempre foi a luta dele esta mudança, inclusive me relatou que a anos atrás eram apenas doze que iam pra quadra e que ele sugeriu na época que além da troca obrigatória fosse necessário a inclusão de dois atletas em cada tempo, para que todos pudessem jogar.

Foi voto vencido, então sugeriu que fossem quinze com os dois tempos divididos, ficando a partida dividida em quatro partes iguai como o Basquete dos EUA, e só no último quarto poderia se repetir os atletas que jogaram os três primeiros.

Resultado aumentaram para 15 e permaneceram com a regra atual.

Justificativa: Se fizessem da forma sugerida por ele(Barão), só Santa Cruz, na época, teria atleta suficiente em condições colocar 15 em quadra.

Temos ai já duas propostas objetivas apresentadas por quem mais entende do Futsal de Base em Pernambuco, Prof. Barão Xavier, sabe o que vai acontecer, muitos serão contra porque ele é favor.

A Proposta dele alcançaria até a Categoria Sub_11, já que a partir de 2012 a Sub_13 será oficial da CBFS e atenderá o regulamento Geral das Competições Organizadas pela entidade.

Acredito que a discussão para o S9 e S11 deva ser bastante ampla, porém para o S7 seja obrigatório desde já! Crianças de 6 e 7 anos não conseguem assimilar o motivo pelo qual ele não pode jogar, assim penso e defendo.

Forte Abraço!!!!

Marcos Aurélio disse...

Ps...iguais, como o Basquete...
... não podem jogar...

Foi a emoção do debate.

Valeu!!

Forte abraço!!!

Anônimo disse...

Pessoal, essa questão é muito complexa, assim como, o futebol e o futsal tb são. Acredito que a forma que os técnicos lidam com o dia a dia no nosso futsal, nada mais é do que a exigência do próprio sistema que só os valorizam pela quantidade de títulos conquistados. Os próprios pais são coerente com essa situação, tirando o seu filho do Clube A para levá-lo ao Clube B não pela forma de trabalho e sim pq aquele clube tem mais chance de ser campeão. Acredito que o trabalho tem que ser feito na mentalidade dos que estão envolvidos, seja as instituições, os técnicos, os pais (principalmente), como também, a FPFS. Outra coisa, é muita hipocrisia dos pais falar que não se deve dar valor só aos títulos e tal, mais vcs esquecem que as competições menores (7, 9, 11 e 13) são abertas, podendo o pai que desestimulado com a pouca participação de seu filho, venha a colocar até mesmo uma equipe e objetivar do técnico escolhido a participação de todos. Pq ví, em várias oportunidades, equipes da AABB com número insuficientes de atletas permitidos? Pq os pais que não estão satisfeito não levam seus filhos a essas entidades que estão precisando de atletas!? Simplesmente pq na AABB o que importa é a satisfação dos seus atletas e não os títulos conquistados. Ganhar é bom e todo mundo quer.

Anônimo disse...

Concordo plenamente com o Fernando Pestana. Vivi muitas vezes o que ele relatou. Meu filho se dedica aos treinos ao extremo e muitas pessoas que o vêem treinar e algumas vezes jogar, o elogiam. Pessoas de dentro e de fora do Futsal mas, infelizmente não tenho como explicar a simples escolha do treinador que não o coloca pra jogar. Falta de talento e qualidade não é. Muitas vezes o recebo depois de uma partida e ele está chorando porquê não teve a oportunidade de ajudar a sua equipe. O que falar? Um criança que está em formação não pode ser tratada desta forma. Categoria de base é para formação de atletas e não pode ser colocada como um negócio.

Anônimo disse...

Boa tarde querido Marcos Aurelio, espero que vc não tenha entendido que eu tenha sido rude contigo...muito pelo contrário...luto por esta posição desde que fui afastado de trabalhos anos atras por defender este tema, hoje quero retornar a prática de lecionar para crianças e me vejo revigorado por poder ver pessoas como vc e o Barão que ainda não tive o prazer de conhece-los pessoalmente lutarem pela mesma opinião.. pois obrigado por responder e aumentar o cordão desta reinvidicação, não é porque hoje tenho filhos, mas mesmo antes quando treinava equipes mirins e infantis tive muito problemas com pais que não aceitavam o meu trabalho desta forma e fiquei anos prejudicado sem poder atuar. Onde cheguei até a desistir da ed. física, mas hoje retorno com muita força e carinho por esta profissão, e vejo muitos treinadores competentes nos clubes pernambucanos e observo para enriquecer meu aprendizado.

Abraço Fernando Pestana.

Anônimo disse...

Sem querer polemizar, mas se o atleta do colega Fernando fosse sempre titular, ele estaria preocupado da mesma maneira com os outros garotos que também por ventura não entrassem durante a partida? Sei que é duro um pai ver seu filho fazer parte de um grupo e só treinar e ter poucas chances durante um jogo, parte o coração sim, mas é pra isso que acompanhamos os passos deles, é parea incentivar e mostrar que a paciência é uma sabedoria para poucos. Não quero que pense que estou contra você ou seu comentário, mas é que me coloco também do outro lado da moeda. forte abraço.

Anônimo disse...

CARO E DISTINTO ANÔNIMO DO DIA 21/11 AS 16:08, DECLARO NOVAMENTE QUE ACHO QUE A LEITURA DO QUE ESCREVO NÃO ESTA SENDO FEITA DE FORMA CORRETA, OU PASSA DESPERCEBIDA ALGUMAS PALAVRAS...NÃO SEI; POIS OBSERVO EM VÁRIAS EQUIPES NÃO SÓ DA CATEGORIA (QUERO DIZER SUB SETE, NOVE, ONZE...ETC)DELE(MEU FILHO) MAS EM TODAS AS CATEGORIAS VÁRIOS ATLETAS QUE ATÉ MESMO SENDO MELHORES TECNICAMENTE DO QUE OUTROS FICAREM AS MARGENS DAS REGRAS...NÃO VIR AQUI DEFENDER ALGO PARTICULAR, NEM MUITO MENOS ESTOU EXPONDO ENREDO DE FOLHETIM PARA VIRAR DISCUSSÃO DE BAR, NOTO UMA CERTA AFOBAÇÃO NAS PALAVRAS ONDE A QUESTÃO É TÃO SIMPLES...O QUE FALTA É UM POUCO DE HUMILDADE NAS PESSOAS DE RECONHECEREM QUE PODEM ESTÁ ERRADAS,E PROCURAR DE ALGUMA FORMA DIMINUIR ESTAS DISTÂNCIAS E ATÉ MESMO ARROGÂNCIA DE UNS POUCOS(NÃO ESTOU FALANDO DE TI CARO AMIGO) POIS TODA A UNANIMIDADE É BURRA JÁ O DIZIA O POETA...CHEGA A SER HILARIO FICAR DISCUTINDO SE A ESTA CERTO OU B ...ETC.. SÓ SEI QUE ESTA BESTEIRA DE DIZER " SE O FERNANDO TIVESSE O FILHO DELE TITULAR SERÁ QUE ELE ESTARIA DEFENDENDO""" ME POUPEM DE TANTA INFANTILIDADE,SEJAMOS ADULTOS OU PELO MENOS FINJAM QUE SÃO OU ATÉ MESMO MUDEM O JARGÃO PORQUE ESTE JÁ O É ULTRAPASSADO, COLOQUEMOS AQUI PALAVRAS QUE POSSAMOS ENRIQUECER NOSSO FUTSAL E NÃO VENHAMOS AQUI TENTAR CHAMUSCAR OU MUDAR AS PALAVRAS OU DETURPAR PENSAMENTOS...O OUTRO LADO DA MOEDA, TIRANDO EXCELENTES EXEMPLOS NOS QUAIS TENHO O PRAZER DE CONVIVER, SÃO TREINADORES E PAIS QUE EM SUAS CONCIÊNCIAS SÃO EXCELENTES E MARAVILHOSAS PESSOAS,LEMBRANDO NÃO ESTOU AQUI RELATANDO CRITICAS A NINGUEM( SÓ É RELER O QUE JÁ ESCREVI)AS CRITICAS CONSTRUTIVAS EM QUE ME REFIRO , SÃO PARA O SISTEMA E NÃO PARA O GRUPO PARTICULAR ONDE EU E MEU FILHO CONVIVEMOS,POREM REPITO ACHO QUE DEVERIA SE PENSAR EM PROL DO FUTSAL E NO CRESCIMENTO E DESENVOLVIMENTO DE UM PEQUENO CIDADÃO EM FORMAÇÃO,ACHO QUE ESTOU SENDO BEM CLARO NESTA QUESTÃO , E FINALIZANDO RESPONDO COM TODA CLAREZA DE PENSAMENTO E SE PUDESSE FAZÊ-LO DIRIA DIRETO NO OLHAR DE QUALQUER UM, PERGUNTA DO COLEGA:se o atleta do colega Fernando fosse sempre titular, ele estaria preocupado da mesma maneira com os outros garotos que também por ventura não entrassem durante a partida? CLARO QUE SIM...REPITO ESTE DILEMA JÁ O VEJO PÔR PELO MENOS HÁ 18 ANOS E AS PESSOAS NÃO MUDAM E AINDA TENTAM RIDICULARIZAR OU DIMINUIR AS PESSOAS QUE PENSAM AO CONTRÁRIO COMO SE ISTO FOSSE ALGO ESTRANHO OU DE OUTRO MUNDO...COMO DISSE ANTES MUDEM ESTE JARGÃO POIS O MESMO NÃO CONDIZ COM O MUNDO ATUAL, ESTAMOS EM TEMPOS ONDE A UNIÃO E RESPEITO E PRINCIPALMENTE A AMIZADE, PODEM E DEVEM MUDAR O CONTEXTO DESTE MUNDO CHEIO DE VIOLÊNCIA E DESTEMPEROS.
ABRAÇOS FERNANDO

Anônimo disse...

Outro sim!!! GANHAR É MUITO BOM SIM!!!É EXCELENTE...MAS NÃO VALERÁ NADA SE NÃO HOUVER RESPEITO AO PRÓXIMO E AO SEU ADVERSÁRIO,ESTA VITÓRIA CAI NO ESQUECIMENTO E SE TORNA TÃO VAZIA QUE ...SERÁ QUE VALEU A PENA....LEMBREMOS DE TEMPOS DE QUANDO ERAMOS CRIANÇAS, QUANTOS DE NÓS AINDA TEMOS CONTATO COM "( AQUELES MOLEQUES DA RUA , ONDE BATÍAMOS UMA PELADINHA)" QUE TEMPO BOM AQUELE, ONDE O TIME QUE ERA HOJE ,NÃO ERA O DE AMANHÃ , SÓ PORQUE TROCAMOS DE PARCEIROS NA HORA DE ESCOLHER O TIME... MAS MESMO ASSIM ERAMOS TODOS GRANDES AMIGOS...LEMBRAM-SE DISSO, E POUCO IMPORTAVA QUEM VENCIA O QUE VALIA MESMO ERA ESTÁ NAQUELA TARDE TODINHA JUNTOS...AQUELE CRAQUE AO LADO DO GORDINHO RUIM QUE DÓI...AQUELE MAGRICELO ABESTALHADO E O PRETINHO BOM DE BOLA ...AQUELE QUE ERA CHATO PRA BURRO MAS TINHA A IRMÃ QUE ERA GATA ,AQUELE GOLEIRO FRANGUEIRO QUE ...DAVA ERA RAIVA.. TINHA DE TUDO,,E SABE MAIS O QUE NÓS TÍNHAMOS QUE HOJE POUCO SE VER NAS QUADRAS?? AMIZADE , RESPEITO E HOJE LEMBRANÇAS ARRETADA DAQUELA ÉPOCA QUE NÃO VOLTA MAIS E HOJE QUANDO REVEMOS UNS DESSE MOLEQUES NOS TRANSPORTAMOS COMO SE TIVÉSSEMOS NOVE OU DEZ ANOS E RIMOS A VONTADE DAS LEMBRANÇAS... SERÁ QUE NOSSOS FILHOS TEM ISTO HOJE??? FERNANDO..

Anônimo disse...

O nosso grande problema é que estamos querendo profissionalizar crianças. LEMBREM SE, SÃO CRIANÇAS e não adultos. Temos que banir das quadras treinadores e dirigentes que querem se promover por conta de nossas crianças. Volto a dizer, SÃO CRAINÇAS. Deveriamos ter mais pessoas como o nosso amigo Fernando, que não conheço pessoalmente mas, já estou gostando. Conheço exemplos de treinadores que são podados (impedidos) de por em quadra os atletas que merecem estár lá por dirigentes que se promovem e prometem titularidade absoluta a filhos de seus "AMIGOS" na simples intenção de um título só para dizer a todos que "ele" é melhor que os outros. E treinadores, sem escrupulos, que agridem atletas com palavras e até mesmo fisicamente? Este é o Futsal que queremos? Esta é a formação que queremos para nossos filhos? Essa regra viria tirar da cabeça destes diretores e treinadores a idéia de usar nossos filhos. Porém, é uma faca de dois gumes, pois pode piorar ainda mais. Jogariam apenas aqueles "AFILHADOS", não ficando alternativa para aquelas crianças e pais que querem apenas praticar um esporte saudável. Essa é uma discurssão muito boa. Parabéns ao blog por lançá-la.

Anônimo disse...

Sou alvirrubro - sou Série A - e sou contra tudo isso. Bando de marmanjos brigando por crianças, deixem elas se divertirem, elas não estõ nem aí pra o que vocês estão escrevendo, uns justificando as asneiras dos outros, vão procurar o que fazer. Deixem que elas (AS CRIANÇAS) procurem seu próprio espaço e desencantem todo o seu talento, por eles mesmo se resolvem, fiquem só na torcida é que lhes competem. Marcos, parabéns pelo blog.

Marcos Aurélio disse...

Amigos!

Tem sido muito interessante o debate, porém o que está me chamando a atenção é o fato de estarmos discutindo as nossas próprias opniões e deixando um pouco de lado a opnião do Orlando Barros.

Entendo que alguns sejam levados a falar sobre suas próprias experiências o curioso é discordarem das experiências ruins vividas, querendo justificar porque elas passaram por tais situações como se tivesse escolhido passar por tal situação.

Entendo que o clube não é o local pra se fazer recreação, pois para este tipo de prática esportiva existem as escolinhas.

O que questiono é que se a criança não terá condições de contribuir diretamente na partida, porque então ela foi chamado???? E se foi chamada apenas para compor o número, porque não foi discutido com os pais???

E se ela está treinando com grupo porque ela não tem condições????
- Não se dedica aos treinos ou não tem sido lapidada????

E se a criança não tem condições porque foi aceita no clube????

Se ela tem potencial mais precisa ser aprimorada porque então não é feito este trabalho na própria escolinha do clube?

E quando ela for integrada ao clube, esteja em condições de ajudar e contribuir com o grupo!

Forte abraço!!!!

Anônimo disse...

Vejo grande problema se for obrigado a todo mundo jogar. A FPFS exige que participe no mínimo 10 atletas por jogo. Se essas obrigatoriedades forem exigidas, os técnico "enxugarão" e muito os seus grupos passando a levar no máx 12 atletas (é mais fácil vc ter 12 com condições de participar, do que 15)para os jogos. Ou seja, os atletas que supostamente estão sendo escalados para completar a taxa, nem sequer farão parte do grupo. E ai? Existem muitas fatores contra essa obrigatoriedade.

Postar um comentário